31/03/2015

[Correio da Manhã] 'Gang da Linha’ espalha terror

Três assaltantes referenciados atacaram de caçadeira.
As autoridades acreditam que o primeiro roubo dos três homens que têm espalhado terror em estabelecimentos comerciais nas Linhas de Sintra e de Cascais aconteceu na última véspera de Natal. No sábado à noite voltaram a atacar – naquele que terá sido o 15º roubo –, desta vez nas bombas da Galp da Estrada da Granja do Marquês, em Mem Martins
Eram 22h00 quando os três assaltantes – conhecidos por ‘Gang da Linha’ – entraram de caçadeira em punho. O assalto ficou gravado pelo sistema de videovigilância e está já a ser investigado pela Polícia Judiciária. No local estava um só funcionário, que não ofereceu resistência. Os assaltantes conseguiram levar 100 euros da caixa registadora e tabaco. Depois fugiram num carro. Mais uma vez continuam a monte. 


No 15º assalto usaram o ‘modus operandi’ de sempre. Entram com capuzes para esconder o rosto – a polícia associa-os pela fisionomia – e exigem todo o dinheiro que está na caixa registadora. 
A PJ continua à procura dos assaltantes que já atacaram postos de abastecimento de combustível, restaurantes, mercearias e farmácias. Já foram filmados em vários locais, mas até agora não foram localizados.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/detalhe/gang_da_linha_espalha_terror_no_15_assalto.html

30/03/2015

Conferência 'Tradição e Sabedoria do povo Saloio'

Conferência 'Tradição e Sabedoria do povo Saloio'
Floresta Center - dia 1 de Abril de 2015 »» 18h
com o historiador João Rodil

29/03/2015

Rastreio Nutricional Gratuito - 7 Abril

Rastreio Nutricional,Gratuito no dia 7 de Abril de 2015
aconselhamento alimentar com a Dra Teresa Conceição (nutricionista)
marcações até dia 1 de Abril, na Junta de Freguesia de Algueirão Mem Martins
(observação: no cartaz acima, onde se lê Junta de Freguesia de Mem Martins
devia ler-se 'Junta de Freguesia de Algueirão Mem Martins')

'Algueirão e Tapada' vista da Serra de Sintra

imagem no topo da Serra de Sintra sobre o
Algueirão e a Tapada das Mercês
com a Quinta do Monte Sereno à direita
[clica na imagem para ampliar]

Recreios Desportivos do Algueirão - 75ºaniversário

No próximo sábado, 4 de Abril de 2015
75ºaniversário 

26/03/2015

Assembleia aprovou a delimitação das Áreas de Reabilitação Urbana de Algueirão-Mem Martins/ Rio de Mouro, Agualva e Queluz/Belas

A Assembleia Municipal de Sintra aprovou, por unanimidade, na 1ª Sessão Extraordinária, realizada em 24 de março de 2015, a proposta referente à delimitação das Áreas de Reabilitação Urbana de Algueirão-Mem Martins/ Rio de Mouro, Agualva e Queluz/ Belas.


PROPOSTA DE DELIMITAÇÃO DA ÁREA DE REABILITAÇÃO URBANA DE ALGUEIRÃO-MEM MARTINS/ RIO DE MOURO

DESCRIÇÃO 
A área a delimitar como ARU, com cerca de 148 ha, inclui os principais eixos de ligação aos centros de Mem Martins e de Rio Mouro, estruturada pela Ribeira da Laje. 

Património arquitetónico e arqueológico na área de intervenção: 
- Gruta do Carrascal  
- Forno de Cal de Rio de Mouro 

OBJETIVOS 
Reforçar as centralidades urbanas e as conceções entre si, favorecendo o carater identitário dos lugares Beneficiação dos espaços de circulação pedonal Ordenamento dos espaços de estacionamento Valorização dos espaços coletivos de estadia Requalificação das margens da Ribeira da Laje e beneficiação dos espaços verdes lineares de descompressão urbana, estruturação da cidade e ligação entre as comunidades Beneficiação das condições para a utilização de modos de transporte suave Incentivo à reabilitação de edificado Reabilitação de equipamentos 



[Jornal de Negócios] Vão as bolachas Triunfo passar a fazer parte da ementa de Buffett?

Fábrica de bolachas Triunfo e Proalimentar, alvo de OPA em 2001 pela Nutrinveste, já esteve no universo da United Biscuits e da Kraft Foods, mas hoje é parte da Mondeléz International.

A fábrica de bolachas Triunfo localizada em Mem Martins, que além daquela marca produz ainda a Proalimentar e as Belgas, fica fora da mega operação de concentração esta quarta-feira conhecida, de compra e posterior fusão, do Kraft Foods Group por Warren Buffett e o fundo brasileiro 3G Capital. O negócio irá resultar na nova companhia Kraft Heinz e será o quinto maior grupo alimentar e de bebidas do mundo, terceiro nos EUA.  

fabrica de Mem Martins
A unidade de produção portuguesa chegou a estar seis anos no universo da Kraft Foods, quando a companhia norte-americana adquiriu os negócios do Sul da Europa da britânica United Biscuits. Mas, desde Outubro de 2012, a Kraft – que já tinha decidido cindir-se em dois no Verão anterior – fez um "spin off" da área de snaks onde se incluíam activos europeus, entre as quais a portuguesa Triunfo.

Passou-se a chamar a esta área Mondeléz International, separada em termos de accionistas, cotação, sede e negócios, do resto do grupo Kraft Foods, concentrado sobretudo no mercado da América do Norte – EUA e Canadá.

A separação de activos entre Kraft e Mondeléz (ambas com sede nos EUA) manteve contudo um acordo de representação de marcas da primeira com a segunda para a Europa – daí que marcas globais que ainda hoje são da Kraft – como o queijo Philadelphia, ou a Cadbury (de origem britânica mas comprada em 2010) e Trident – façam parte do portefólio distribuído pela Mondeléz no mercado português.

De acordo com a informação da Mondeléz International em Portugal, "os colaboradores" da "fábrica em Mem Martins dedicam-se ao fabrico das marcas de bolachas mais apreciadas em Portugal, incluindo a Chipmix, Maria, Torrada, Integral, Wafers e Belgas". A sede social está situada em Alfragide, Lisboa.


A fábrica de Mem Martins não é controlada por capitais portugueses desde 2004, quando o grupo Nutrinveste – que detém hoje a Sovena e foi também dono da Compal e da Nutricafés – a alienou à United Biscuits em 2004.

O grupo agro-alimentar de Jorge de Mello passou a controlar o capital após OPA lançada em 2001, quando então atingiu a posse de 94,2% dos títulos da fabricante. A título de curiosidade, aquando da OPA, cada acção da então cotada Fábricas Triunfo – no Mercado sem Cotações da Bolsa de Valores de Lisboa e do Porto (BVLP) na altura - valia cinco euros para a Nutrinveste. Foi esse o valor da oferta conhecida a 29 de Setembro de 2001.

Parceria entre 3G Capital e Buffett remonta a 2013 
O fundo de investimento 3G Capital é brasileiro e nos últimos anos tem crescido por via de aquisições. A sua relação com a Berkshire Hathaway (do investidor Warren Buffett) remonta a 2013, altura em que a 3G Capital comprou a Heinz. Buffett financiou também a compra da Tim Hortons e está agora envolvido na compra da Kraft Foods.

A primeira grande compra da 3G Capital remonta a 2010, ano marcado pela aquisição da Burger King. O negócio foi anunciado em Setembro de 2010 e, nessa altura, foi revelado que a 3G Capital tinha chegado a acordo para comprar a Burger King por 4,0 mil milhões de dólares.

Em Junho de 2013 o fundo comprou a Heinz, em parceria com a Berkshire Hathaway. A compra da Heinz foi avaliada em 28 mil milhões de dólares.

Em 2014 a 3G Capital criou a Restaurant Brands International, depois de comprar a Tim Hortons, numa operação que contou com o financiamento de Buffett. A Restaurant Brands International agrega as marcas Tim Hortons e Brands International. 

Fonte: http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/detalhe/vao_as_bolachas_triunfo_passar_a_fazer_parte_da_ementa_de_buffet.html

21/03/2015

Paragens de transportes públicos em Algueirão- Mem Martins com novos abrigos

A Câmara Municipal de Sintra está a colocar abrigos nas paragens de transportes públicos, na freguesia de Algueirão-Mem Martins, com o objetivo de promover uma maior comodidade dos utentes.
Os locais de colocação dos abrigos seguiram um rigoroso critério de seleção, considerando as informações fornecidas pelos operadores de transportes públicos (paragem com maior percentagem de utilizadores, passageiros/dia, etc.), solicitações das juntas de freguesia e locais de maior proximidade como escolas e serviços de saúde.
Abrigos na freguesia de Algueirão-Mem Martins:
  • Estação da CP-Algueirão-Mem Martins (Av.ª Marginal, cruzamento com a Av.ª Prof.     Bento de Jesus Caraça)
  • Centro de Saúde – Estrada de Mem Martins
  • Bairro de São José – Mem Martins (Av.ª Cândido de Oliveira)
  • Bairro da Cavaleira (Rua Cidade de Beja)
  • Bairro da Cavaleira (Rua Cidade de Portalegre n.º 8)
  • Tapada das Mercês – Escola Alberta Menéres

19/03/2015

[CMTV] 36 anos do 'Correio da Manhã' [video]


O 'Correio da Manhã' faz 36 anos nesta quinta-feira. 

Neste dia especial para a publicação, o CMTV realizou reportagem em directo de um dos pontos onde se registam mais vendas, localizado no Algueirão, junto à estação da CP.



18/03/2015

Peça de teatro "A CEREJEIRA" - 28março2015

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES APOIA JOVENS COM PEÇA DE TEATRO NA CASA DA JUVENTUDE
A Casa da Juventude na Tapada das Mercês vai abrir as portas no sábado dia 28 de Março para a realização da peça de teatro " A CEREJEIRA".
Representada por jovens do grupo Os Inconscientes e elementos da Oficina de Teatro e Expressão (OTE) , a peça sob à cena ás 16.20 horas e promete juntar muito público no auditório da Casa da Juventude , com entrada gratuita.
A Associação de Moradores promove esta iniciativa que conta ainda com o apoio da Câmara Municipal de Sintra.

[Jornal de Noticias] SMAS de Sintra alertam para falsos técnicos que querem fazer análises à água

http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Lisboa&Concelho=Sintra&Option=Interior&content_id=4460206
Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Sintra alertaram, esta quarta-feira, para falsos técnicos que pretendem realizar análises à água e avisaram que não fazem cobranças na residência dos consumidores.

O alerta surge após "algumas dezenas" de contactos de consumidores informando que pessoas, fazendo-se passar por técnicos dos serviços, pretendiam efetuar análises nas habitações, explicou à agência Lusa Guadalupe Gonçalves, diretora-delegada dos SMAS de Sintra.


Segundo salientaram os SMAS, em comunicado, os seus trabalhadores "estão devidamente identificados sempre que se deslocam para efetuar qualquer tipo de trabalho" e "não efetuam qualquer tipo de cobrança nas habitações dos clientes".


A dirigente dos SMAS esclareceu que a situação "começou em janeiro em Queluz e chegou a outros pontos do concelho, principalmente em zonas urbanas como Cacém e Algueirão-Mem Martins".


Os SMAS desconhecem o objetivo da utilização fraudulenta da identidade dos técnicos, mas Guadalupe Gonçalves recordou que, há anos atrás, uma situação semelhante destinava-se "à venda de filtros para água".


Os consumidores não relataram a tentativa de cobrança de verbas pelas análises, no entanto, como "medida preventiva", os SMAS avisaram que todos os trabalhos são pagos nos seus balcões de atendimento em Sintra, Cacém e Queluz, por multibanco e débito direto, nos postos dos CTT e agentes Payshop.

No caso de terem dúvidas acerca da identidade de um funcionário, os consumidores são aconselhados, antes de abrir a porta, a contactar os SMAS de Sintra, pelo número 219119000.

15/03/2015

OpiniãoAMM: Engrenagens Culturais

Texto Tiago Pereira
(Encenador Lordes do Caos)



Pediram-me para escrever sobre Mem Martins. Sendo eu uma pessoa virada para a cultura, decidi que a melhor forma de tentar abordar este texto, seria sobre a cultura nesta nossa bela freguesia. 

Mem Martins é considerada a freguesia mais populosa de Portugal e tal facto faz-me pensar no potencial desta zona. Sendo que temos uma comunidade bastante alargada, porque razão não desenvolvemos mais as produções da região por meios próprios? A verdade pode estar refletida naquilo a que chamamos “dormitórios”.

Em tempos, Mem Martins, foi também para mim um simples dormitório. Acabei o ensino secundário, arranjei um trabalho em Lisboa e fui para a faculdade em Pós-Laboral. Vinha a casa dormir e tomar banho. A ambição de fazer vida na metrópole era sinónimo de procurar o sucesso. Pensava nisto constantemente sem sequer ponderar a hipótese de poder fazer algo no seio da comunidade, que fizesse com que Mem Martins fosse mais do que um simples dormitório.

Para os que nunca ouviram falar de mim, apresento-me: Chamo-me Tiago Pereira, tenho 24 anos e sou atualmente o encenador responsável do grupo de teatro da Escola Secundária de Mem Martins, Lordes do Caos. Como membro integrante da cultura de Mem Martins, sinto que há um espaço por preencher nas referências culturais da região. Sei que não sou o único, sei que não sou o único a tentar fazer aquilo que gostar onde gosta, Mem Martins. Nesse sentido, desenvolvo, em conjunto com outros jovens, artistas, habitantes de Mem Martins e com o apoio de uma associação juvenil, um projeto que pretende criar uma referência na cultura em Mem Martins.
Como poderá Mem Martins evoluir na sua cultura se não for com a força oleada das suas próprias engrenagens movidas pelo combustível da vontade e amor? Vamos deixar de andar apenas a dormir em Mem Martins, vamos usufruir de Mem Martins. 

[TVI] Pais acusam ama de agredir filho de dois anos

Reportagem em video (clica) [com 30segundos previos de publicidade] 
http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/agressao/pais-acusam-ama-de-agredir-filho-de-dois-anos


Criança ficou com marcas no corpo e já foi apresentada queixa às autoridades

Os pais de uma criança de dois anos acusam a ama de ter agredido o filho. A avó diz à TVI que a agressão aconteceu na passada quinta- feira quando a nora foi buscar o menino à ama, em Mem Martins. A família já apresentou queixa na polícia.

Para além do que ficou visível no corpo o menino confirmou à mãe que a ama lhe bateu. A família decidiu confrontar a ama mas quem atendeu à porta foi o marido que disse que a ama «apenas deu uma palmada» à criança.
 
A TVI também tentou ouvir a alegada agressora mas a única resposta foi o silêncio. 
  
O governo quer legislar estas amas que apenas têm como obrigação estarem registadas nas Finanças. Até agora as únicas profissionais legais em Portugal trabalham para a segurança social ou para as IPSS. Trata-se de uma resposta social do estado às famílias com baixos rendimentos. 

No ano passado 923 amas estavam a exercer. Para tomarem conta de crianças são obrigadas a fazer um estágio numa creche com orientação de um técnico. Todos os anos são fiscalizadas pela segurança social. 


A família quis denunciar o caso para que sirva de alerta a outros pais.

11/03/2015

TDMAM - Palestra e Debate 'Culturas Nacionais'

Sábado, 14 de Março de 2015

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES VAI REALIZAR PALESTRA " CULTURAS NACIONAIS ": PRÓXIMO SÁBADO NA CASA DA JUVENTUDE


Este mês de Março revela-se muito preenchido com ações semanais promovidas pela Associação de Moradores.
A próxima iniciativa será a palestra " CULTURAS NACIONAIS " , da autoria de Eduardo Batista,seguida de debate entre a assistência, no próximo sábado dia 14 de Março às 14.30 horas na Casa da Juventude, na Tapada das Mercês.
A iniciativa que inclui ainda a presença de três atuações musicais, tem como objetivo a promoção da Cidadania e a Sociedade Civil, proporcionando uma discussão aberta sobre as caraterísticas e diferenças culturais dos vários países.

A entrada é livre


02/03/2015

O Crime do Casal de Vale de Milho no Algueirão

Foi há 210 anos... 
Casal do Vale de Milho - Algueirão
Documentos avulso relatam-nos episódios, de maior ou menor importância histórica passados na freguesia.
É o caso de uma nota referente à hecatombe acontecida na noite de 2 de Março de 1805, no Casal de Vale de Milho, não longe do Algueirão. 

Foram mortas cinco pessoas
, conforme o afirma a lápide que relembra o crime, com as suas cinco cruzes esculpidas no Altar.
lápide desaparecida

O escândalo provocado pelo crime, levou Pina Manique, por ordem do Príncipe Regente D.João, futuro D.João VI, a atribuir uma avultada recompensa a quem denunciasse os criminosos. Mas ninguém mereceu o prémio. Os mortos jazem na Igreja de São Pedro de Penaferrim.

Dom João VI e Dona Carlota
Embora a causa do crime se mantenha ignorada, reza a tradição que os assassinatos se deveram ao desejo de esconder os amores pecaminosos de D. Carlota Joaquina, mulher do príncipe D.João.

Sousa Viterbo afirma até que os criminosos haviam partido de Mem Martins, do vizinho Casal de Ouressa, e acrescenta terem sido estes os últimos condenados a serem expostos no Pelourinho de Sintra.

Texto do livro "Descobrir Algueirão-Mem Martins", de Dulce Pinto

01/03/2015

OpiniãoAMM: Porque não penso sair de Mem-Martins

Texto Fernando Lebre
(Jornalista e autor literário)



Nunca ponderei em sair de Algueirão-Mem-Martins. Em jeito de gracejo, os meus amigos que em Mem-Martins não habitam, troçam comigo pelo meu bairrismo exacerbado.
Provavelmente sê-lo-á, não sei, mas sinto que é esta a terra a que pertenço e que, de algum modo, também um pouco dela me pertence. Embora a vida profissional não me permita fazê-lo tão amiúde como gostaria, regularmente não digo não a um passeio pela terra onde habito desde que me conheço como gente. Gosto da sensação única de cumprimentar com um olhar cúmplice pessoas cujo rosto conheço de toda a vida, mas que nunca me foram formalmente apresentadas. Desfruto da sensação de passear pelas ruas onde dei os primeiros passos nos tempos de meninice e de me aperceber das coisas que mudaram ou simplesmente daquelas que, por uma razão ou outra, teimam em não mudar.

Aprecio o característico cheiro a “comboio” que provém da velhinha estação de caminho-de-ferro ou o inigualável aroma de pão acabado de fazer que emana da decana padaria Primavera. O jornal parece ter mais cor quando comprado na papelaria Afonso V, onde durante anos a fio aguardei ansioso pela chegada dos novos manuais escolares. Sempre que a carteira o permite, registo os meus boletins nos jogos da sorte e azar no café do Zé do Nicho, outro dos locais emblemáticos que fazem parte do meu imaginário e onde há décadas a minha há muito falecida avó me ensinou a registar a primeira aposta nos embrionários meses de vida do então imberbe totoloto. Uma época, agora longínqua, em que se aguardava colado ao ecrã e em tom esperançoso o veredicto soberano de uma tômbola que então me parecia ter tanto de injusta como de mágica.

Religiosamente, continuo a orgulhar-me de nunca faltar às festas da Nossa Sra da Natividade. Não o faço por especiais razões de fé, embora não seja desprovido da mesma. Faço-o pela oportunidade de celebrar a nossa vila, vivenciando de perto um dos expoentes máximos da vida em comunidade da mesma, e também, confesso, porque durante o ano nenhuma outra fartura ou algodão doce me adocica tanto o palato como as que ali compro. Sempre apreciei e continuo a apreciar os salutares momentos de introspecção que continuo a ter no parque infantil da minha rua, local responsável por tantos momentos de lazer e simultaneamente de justificados raspanetes da minha mãe.

Se os episódios memoráveis aí vividos ficaram algures perdidos no tempo, os amigos que aí fiz, esses, felizmente ficaram para a vida. Por vezes gente de fora, pertinentemente, questiona-me se em Algueirão-Mem-Martins não me incomodam questões como a insegurança crescente, o estacionamento cada vez mais escasso ou os centros comerciais que pululam como cogumelos e asfixiam o comércio local.

Todos eles são temas que gostaria de ver resolvidos a breve trecho. Mas essas imperfeições, comuns a tantos outros grandes centros urbanos, não me fazem perder o amor por Mem-Martins, essa bonita vila com quotidiano de cidade, mas que não perde o melhor espírito que pode existir nos velhos hábitos de aldeia.