29/01/2015

[TVI24] Mem Martins - Guardas prisionais presos por sequestro em restaurante

Caso remonta a abril de 2014, em Mem Martins. PJ anuncia agora a detenção de sete homens

A Polícia Judiciária (PJ), através da Unidade Nacional Contra - Terrorismo, anunciou a detenção de sete homens, suspeitos da prática de vários crimes de sequestro agravado, ofensa à integridade física e de coação. Os sete indivíduos são guardas prisionais, suspeitos de serem os autores de um sequestro violento, no ano passado, num restaurante, em Mem Martins, Sintra. 


Os guardas prisionais, seis da prisão de Sintra e um da Carregueira, são acusados de agredirem clientes e funcionários do restaurante. 

Rua António Silva, Bairro São Carlos, Mem Martins
O caso remonta a abril de 2014: por vingança, um dos homens de 49 anos terá chamado os colegas para o ajudarem a invadir o estabelecimento, dias depois de ter sido expulso do restaurante por alegadamente estar alcoolizado. 

Os homens são suspeitos dos crimes de sequestro, coação e ofensas à integridade física. 


Os arguidos, cujas idades variam entre os 30 e os 56 anos, vão ser presentes à autoridade judiciária competente para sujeição a primeiro interrogatório judicial de arguido detido e aplicação de medidas de coação.



Link abaixo, com video
http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/pj/guardas-prisionais-suspeitos-de-invadir-restaurante-e-agridir-clientes-e-funcionarios



Abaixo reportagem RTP (clica) 
Polícia Judiciária deteve sete guardas prisionais

25/01/2015

Abandonada sede do GDPM


Na rua das eiras em Mem Martins, em frente à antiga fabrica da Messa, ainda é possível encontrar no antigo portão de ferro, as marcas do GDPM e o seu símbolo
GDPM »» Grupo Desportivo do Pessoal da Messa
(em frente à SUB - Urgência Básica Mem Martins)


Hoje é visível uma casa antiga, num elevado estado de degradação, abandonada, mas certamente com muitas histórias para contar... 

Remodelação Pingo Doce (estação)

O Pingo Doce da Estrada de Mem Martins está em remodelação...  reabertura dia 3 de Fevereiro...

23/01/2015

[Correio da Manhã] Idosa com Alzheimer morre estrangulada

Mário Fernandes, de 77 anos, suicidou-se em casa. Antes terá matado a própria mulher.

Video CMTV com 30seg iniciais de publicidade

A história de Mário e Judite Fernandes, idosos encontrados mortos na segunda-feira dentro de casa, em Sintra, chegou a ser apontada por uma vizinha como uma versão do romance ‘Romeu e Julieta’. Contudo, a autópsia feita ao corpo da idosa, de 84 anos, conta agora uma história diferente. Segundo as autoridades, a análise minuciosa ao corpo de Judite Fernandes revela que esta morreu asfixiada pelo método de estrangulamento. As causas naturais, inicialmente apontadas pela polícia, estão descartadas. Tudo indica que a idosa foi morta pelo próprio marido, Mário, de 77 anos, que se suicidou na residência de ambos. No dia em que os corpos foram descobertos, num anexo da casa, em Mem Martins, as autoridades não terão encontrado indícios de crime, pelo que nem a Polícia Judiciária foi acionada. 

Foi avançada a teoria de que Mário Fernandes ter-se-ia suicidado após encontrar a mulher – que sofria da doença de Alzheimer – morta. A sofrer de uma grave depressão, e também debilitado com alguns problemas cardíacos, Mário acabou por pôr fim à vida. "É a história do ‘Romeu e Julieta’, ele matou-se por não conseguir viver sem ela. Não quis viver sem a mulher. Fui eu que dei o alerta à família, pois não os via desde sábado", contou ao CM uma vizinha. Mas a autópsia revela agora que Judite Fernandes foi assassinada. "O Mário confessou-me que tinha medo de morrer e de deixar a mulher sozinha. Ele sofria de problemas cardíacos e ela de Alzheimer. O que aconteceu foi muito triste", contou na altura ao CM Luísa Martins, assistente social do centro de Algueirão-Mem Martins. Judite e Mário Fernandes eram reformados. Ela trabalhou como peixeira e ele como ourives. Viviam sozinhos.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/portugal/detalhe/idosa_com_alzheimer_morre_estrangulada.html

20/01/2015

[Correio da Manhã e RTP] Mem Martins - Solidão arrasta idoso para a morte [video]

Por Magali Pinto, Paulo Madeira, Sara G. Carrilho 
Mário Fernandes encontrou a mulher morta em casa. Colocou flor no corpo e pôs fim à vida.



O casal não era visto desde sexta-feira. A receberem apoio da Segurança Social ao domicílio, em Mem Martins, Sintra, os dois idosos foram ontem encontrados mortos. Tudo indica que Mário Fernandes, 77 anos, encontrou a mulher Judite, 84 anos, já sem vida e com medo da solidão acabou por matar-se. O alerta foi dado às autoridades pelas 18h30 por funcionários do apoio domiciliário que estranharam o facto de os idosos não abrirem a porta. Bombeiros e PSP deslocaram-se à moradia numa zona isolada, no largo Rossio da Fonte. A ausência de lesões nos dois corpos e uma flor depositada sobre o corpo da mulher, deitado no chão, afastaram as hipóteses de homicídio.

A tragédia deixou em choque os vizinhos. "Conhecia o Mário, andava sempre na rua. A mulher saía muito pouco. Ele era muito válido, ia às compras, fazia tudo. Quando a Judite saía, ia sempre de braço dado com ele", contou ao CM Etelvina, vizinha. Alguns familiares, primos do casal, estiveram no local mas não quiseram ontem prestar declarações. Os vizinhos descrevem Mário e Judite como um casal feliz, que andava sempre junto. "Eram felizes, brincavam, andavam sempre acompanhados", disse ao CM Maria Eugénia Conchinha.

O casal vivia sozinho e os vizinhos que falaram ao CM não sabem se deixam filhos. Ontem à noite, continuavam a ser feitas diligências, mas tudo indica que Mário desistiu de viver após encontrar a mulher morta. Fonte da PSP confirma que a polícia acredita que a mulher morreu de causas naturais. Os corpos foram recolhidos pela equipa da auto maca da PSP e transportados para a Medicina Legal para ser feita a autópsia, essencial para confirmar as causas das mortes. Com as hipóteses de crime afastadas, a PJ não foi acionada.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/detalhe/solidao_arrasta_idoso_para_a_morte.html

Reportagem RTP (video)


Reportagem CMTV (video)




18/01/2015

OpiniãoAMM: Se a minha rua falasse...

Texto Célio Ramos
[Vice-presidente do Movimento de Cidadania MUDA]



D
esde sempre que vivo na freguesia de Algueirão-Mem Martins.

Mas a história da minha geração centra-se na minha rua … 

A rua que tinha a quinta “Casal dos Pintos” como ponto de encontro de todas as brincadeiras. Nessa mesma quinta por altura dos Santos Populares todos os vizinhos vinham para a rua festejar e saltar as fogueiras. A “Quinta do Butler” que servia de cenário às aventuras mais radicais.

A rua que se enchia de cor e alegria na época de natal com os balões do Srº Raul. A mercearia da Dª Florinda que tantos copos de água serviam e sempre com um sorriso na cara. A Elisa com os seus penteados arrojados e ao lado a loja de móveis que ajudava a malta a ganhar trocos para o verão.

A loja do Rato que tantos projetos de construção elaboravam. O Srº Fragoso de barba longa dominava todas as televisões a preto e branco. A mulher do Srº Silvestre com a sua retrosaria. O Srº João já nessa altura tinha o melhor bolo-rei, não só da freguesia mas sim de todo o país. No meio desta rua a escola primária que na hora do recreio tanta alegria ecoava.


Os móveis Mourão com aquela rampa incrível fazia as delícias nas corridas. A Mariazinha com os seus bouquets coloridos. A Drogaria onde aos mais novos mandávamos comprar 2,50 centavos de eletricidade em pó. 

A 1ª sede do progresso clube mesmo junto à estação com tantas atividades desportivas. E que me perdoe a Srª da Padaria Primavera por não me recordar do seu nome, aquela loja do vidro grande no final da rua que tinha sempre os cartazes de Cineteatro Chaby, que com as suas palavras carinhosas iniciava o meu dia de forma deliciosa. Dez (10) papo-seco e cinquenta (50) escudos. 


Várias gerações têm passado por esta vila e novas gerações têm-se vindo a integrar, com outras culturas e diferentes vivências. Sempre foi assim, aqui e em qualquer outro sítio, mas a freguesia de Algueirão-M. Martins, continuará a acompanhar gerações presentes e vindouras a chegar e a partir, com a esperança que um dia toda a população em conjunto, construam um local mais acolhedor e aprazível, pois todos querem sentir orgulho da terra onde moram.

17/01/2015

Jumbo Sintra - Inicio das Obras

Já começaram as obras do Hipermercado Jumbo de Sintra (em frente ao Lidl de Mem Martins)
foto 17jan2015
As maquinas já mexem na terra... 
deve estar a chegar o betão...
foto 17jan2015
foto 17jan2015

E esta será mais uma linha de água encanada??? 



Em 2008 um projecto semelhante foi chumbado, e um dos argumentos era 'é atravessada por pequenos cursos de água fundamentais para o funcionamento de todo o sistema ecológico e hídrico, ligando o maciço de Sintra à foz do rio Tejo'

Clica abaixo para ler noticia de 2008

http://algueirao-memmartins.blogspot.pt/2008/12/centro-comercial-jumbo-em-mem-martins.html

12/01/2015

M€rch (Sanryse & Blasph) feat. Landim - Contrabando [video]

https://www.facebook.com/pages/Landim-KSJ/206586579363529?ref=tn_tnmn
Produção: Uppercut Inc. / Madsaints
Argumento: Sebastião Santana & Marta Santinho
Realização: Sebastião Santana
Assistente Realização: Marta Santinho
Câmera: Sebastião Santana 
Edição e Color Grading: Sebastião Santana

Som Produzido por FMX2000XL
Cuts por DJ Yoke

Uppercut Inc.
https://www.facebook.com/uppercut.videos
Madsaints
https://www.facebook.com/madsnt

Faixa retirada do projecto MERCHANDISE (Sanryse & Blasph)
DOWNLOAD GRATUITO DO PROJECTO NO SEGUINTE LINK:
http://www.mediafire.com/download/vmd...

11/01/2015

Serviço gratuito de recolha de resíduos “Verdes” e “Monos” [video]

Os SMAS-SINTRA dispõem de um serviço gratuito de recolha de resíduos “Verdes” e “Monos” - objeto de grande volume como móveis e sofás. 

Saiba mais como solicitar e quais as regras de deposição deste serviço, ajudando à preservação da higiene pública do concelho. (vê o video abaixo)

Algueirão - Igreja Paroquial de São José [video]

Igreja Paroquial de São José

08/01/2015

Diogo C & Cata G (O Bacalhau Quer Alho – Mr. President Coco Jambo)

https://www.facebook.com/VozesAoAcaso
Jovens de Mem Martins apresentam novo projecto.

O novo estilo musical Lyric Mashup está mais forte com este novo tema. Os dois rappers Diogo C & Cata G dão uma nova vida a este conceito. 

Letra do tema O bacalhau quer alho de Saúl com musica de Mr. President – Coco Jambo.

[Jornal i] O Movimento de Cidadania diz: "Não à Cidade Sonae em Sintra"

Noticia 'Jornal i' (link)
Os promotores de uma petição na internet contra a aprovação do Plano de Pormenor da Abrunheira Norte (PPAN), em discussão pública até sexta-feira, constituíram-se no Movimento de Cidadania "Não à Cidade Sonae em Sintra", anunciou fonte do grupo.

Segundo confirmou Catarina Pinto, arquitecta e promotora da petição "Exigimos que não seja permitida a construção da ‘cidade da Sonae' em Sintra", na internet ( www.change.org), que já conta com 1866 subscritores, um grupo de moradores decidiu "criar um movimento de cidadania informal", para tentar travar mais uma grande superfície comercial junto ao Itinerário Complementar 19.

A proposta do PPAN prevê a construção em cerca de 70 hectares, no final do IC19 (Lisboa-Sintra), de uma área comercial da Sonae, serviços, hotéis, clínica privada e parque urbano e de lazer, a "Sintra dos Pequeninos", com miniaturas de monumentos da vila.

"Até que ponto para ir ao encontro dos interesses de um privado, que não visa o interesse público, está a ser feito um plano de pormenor que vai alterar naquela zona o plano director municipal?", questionou Catarina Pinto.

A moradora salientou que, na mesma zona, junto ao nó de Mem Martins do IC19, já está aprovada a construção de um hipermercado Jumbo, o que agravará as condições de circulação rodoviária, para além do impacte paisagístico para a serra de Sintra.

O Movimento de Cidadania "Não à Cidade Sonae em Sintra", em comunicado, congratulou-se com a recente aprovação, na Assembleia de Freguesia de Algueirão-Mem Martins, de uma moção da CDU contra o PPAN, que apenas mereceu oposição do PS.

Alguns moradores, segundo o movimento, alertaram que a freguesia será das mais atingidas pelo projeto, nomeadamente em relação "ao enfraquecimento do comércio local e à problemática das acessibilidades rodoviárias".


O movimento vai continuar a recolher assinaturas, prevendo entregar na sexta-feira mais requerimentos endereçados ao presidente da câmara contra o PPAN.

Entre outras iniciativas, o movimento vai alertar as comissões nacionais da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) e do Icomos (Conselho Internacional de Monumentos e Sítios) para os impactos do plano na paisagem cultural classificada como Património da Humanidade.

Apesar do prolongamento da discussão pública do PPAN, de 12 de Dezembro para 09 de janeiro, Catarina Pinto lamentou a ausência de mais debates públicos sobre um projeto com "graves impactos" para as populações: "As pessoas não têm ideia do que aí vem".

O presidente da autarquia, Basílio Horta (PS), em declarações anteriores à agência Lusa, defendeu que o projecto da Sonae representa um investimento na recuperação de uma área degradada, que permitirá criar um "parque urbano com 20 hectares".

"Os sintrenses têm de escolher em consciência e nós depois temos de decidir, sempre ouvindo toda a gente. Se chegarmos à conclusão que nada deve ser feito ali, nada será construído", frisou Basílio Horta, salientando que o investimento de cerca de 125 milhões de euros vai "criar 1800 postos de trabalho".

A CDU de Sintra também se manifestou contra o PPAN, por entender que mais uma grande superfície junto ao IC19 constituirá um exemplo "de pesada densificação do tecido urbano do concelho".

04/01/2015

OpiniãoAMM: Sou do tempo

Texto José Silveira
(Presidente da Associação de Moradores da Tapada das Mercês)



Sou do tempo, esse chavão que nos permite demonstrar alguma vivência.

Sou do tempo, em que Algueirão – Mem Martins era constituída por quintas e casas de férias. 


Sou do tempo, em que não existia construção na Tapada das Mercês, somente a Escola Visconde Juromenha onde, com os meus colegas fui muitas vezes a pé.


Sou do tempo, em que nós construíamos os nossos próprios divertimentos (carros de rolamentos, balizas, cabanas) e inventava-mos brincadeiras.


Sou do tempo, em que se podia jogar à bola em qualquer rua, jogar à carica, berlinde, prego, apanhada, escondidas, etc, em suma, conviver. 


Sou do tempo, em que só existia dois canais de televisão, e os desenhos animados da altura eram apresentados pelo Vasco Granja, em que a Heidi, o Marco e a Abelha Maia eram as referências.


Sou do tempo, em que ia comer as famosas tardes da Leitaria Central com os meus amigos e depois ficava-mos sentados na Gare a ver os comboios chegar e a identificar as pessoas que moravam na freguesia e aquelas que eram de fora.

Sou do tempo, de ir às matinés no Cine-Teatro Chaby.

Sou do tempo, em que as festas em Mem-Martins tinham Carrinhos de Choque, Carroceis, barracas de comida, quermesse e, de ver as tão célebres Cavalhadas.


Sou do tempo, em que não existia telemóveis nem internet. 


Sou do tempo, em que havia quase tudo na freguesia de Algueirão – Mem Martins, e agora?


Esse tempo era melhor? Não sei!


Mas, sou do tempo …