30/04/2014

[Noticias Magaine] Antonio Cluny - Memórias do 25 Abril

António Cluny, antigo presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público e procurador-geral adjunto no Tribunal de Contas, tinha 18 anos e era estudante de Direito quando na madrugada de 25 de Abril, pelas cinco ou seis da manhã, ouviu na rádio que as tropas estavam na rua para derrubar a ditadura. «Vivia no Algueirão, perto de Sintra, e por isso levantava-me muito cedo para ir para as aulas. Quando ouvi a notícia saí logo de casa, sem dizer nada aos meus pais, que dormiam.» 

Na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa vivia-se um ambiente repressivo. «Não tinha par no mundo académico português. Existia uma polícia interna, composta por fuzileiros da pide, que mantinha a ordem e controlava todas as actividades dos estudantes. Uma ideia introduzida por Veiga Simão, ministro da Educação Nacional da altura e depois ministro de um governo socialista, com a conivência da maioria do corpo docente da faculdade, hoje todos insignes democratas. Eles chamavam-lhes vigilantes, nós chamávamo-lhes “Gorilas”. Eram de uma brutalidade enorme.» 


Saiu de casa com destino à Cidade Universitária e como ele muitos colegas. «A ideia era apanharmos os Gorilas, os nossos inimigos de estimação, mas eles não apareceram nesse dia. Eram gorilas, mas não eram estúpidos. Ou pelo menos não tão estúpidos como pensaríamos.»

Ginástica Senior

Já se encontram abertas as inscrições para a Ginástica Sénior da Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins. 

O início das aulas será em Setembro/Outubro, no Mem Martins Sport Clube, situado no Largo Rossio da Fonte, e no Progresso Clube, situado na Praceta Progresso Clube nº17 Algueirão.

Cuide da sua saúde, faça exercício!

27/04/2014

Entrevista do Grupo 'Diabo na Cruz' na Antena 3

Clica na foto abaixo para ouvires a entrevista dos 'Diabo na Cruz' na Antena 3 na passada semana, onde o grupo fala do espectáculo que vão apresentar 
em Mem Martins no próximo dia 3 de Maio
[clica na foto]
entrevista com Diogo Beja e Joana Marques

24/04/2014

Saudades ou só lembranças... do Algueirão

Texto que encontrei no blog 'Salvaterra e eu', e que aqui transcrevo com a autorização do seu autor João Celorico

"A ligar as duas partes, a de Cima com a de Baixo (do Algueirão), havia uma estrada (ainda hoje Estrada do Algueirão), poeirenta, que hoje, ruas com casas dum lado e doutro, é difícil a quem a não conheceu, saber onde passava. Como alternativa, havia um atalho (hoje o que, praticamente, é a rua dos Morés) pelo meio dos campos, onde, entre campos de cultivo, havia uma Fábrica da Telha.


A estrada, propriamente dita, começaria por alturas do que são, hoje, a Escola Primária e a Igreja, descia ligeiramente e depois de uma subida um pouco mais acentuada, curvava, onde hoje é a rua do Mercado, um pouco abaixo donde foi construído o reservatório de abastecimento de água (que ainda não havia, dado que a água que se utilizava era de poços ou fontes) para a esquerda e para baixo, descia de novo até encontrar a entrada inferior do atalho, numa zona baixa onde estava e ainda está uma mercearia e taberna que não recordo o nome (talvez, “A Competidora”) mas que era do “Pérlita”. Neste local, de passagem duma vala, houve certa vez uma grande inundação que impossibilitou a comunicação dos dois lados da povoação. Ainda pior, porque era por aqui o acesso de e para a estação dos caminhos de ferro!


Com o meu novo Mundo situado cá em Baixo, continuei a minha exploração. As casas aqui, eram mais novas e em maior número mas o movimento de pessoas nem por isso. Muitas das casas eram de veraneio (com o consequente abandono durante o resto do ano) e noutras, as pessoas não trabalhavam no Algueirão, saiam de manhã e retornavam já de noite. A proximidade da estação de caminhos de ferro, ajudava a isso.

É, então, que o centro do Mundo passa para o que se chamaria Rua M (ou seria N?) e hoje é a Rua de Santo Estêvão!E, é daqui que eu parto para a descoberta do resto do Mundo. Não me alargava muito, pois normalmente só ia até à linha do comboio.


Para lá da linha, ia à drogaria, à farmácia, ao cinema “Chaby”, acabado de construir e uma ou duas vezes, a uma drogaria, o “Africano”, para comprar lixívia (que os tempos eram de crise e não a havia em qualquer lado), ali para os lados dos Casais de Mem Martins.

Pois bem, saindo da tal rua M (ou N), chegava à estrada e, para baixo lá encontrava, do lado esquerdo os “Correios”, depois, à direita o “Pérlita", mais à frente, à esquerda a “Cabeleireira”, numa vivenda, lá para dentro e, já quase junto à linha, do lado esquerdo uma taberna, a “Cova Funda”, e na esquina defronte, uma mercearia. 

Do lado direito, entre outros havia uma capelista e outra mercearia, e mais acima o talho do Alfredo Conde, cavaleiro tauromáquico, pai do também cavaleiro Manuel Conde. Este, tinha casado com a filha do Crispim, do Algueirão de Cima; e dizia-se que a família Conde, seriam os mais ricos de Maçãs de D. Maria! Dinheiro atrai dinheiro!

Ainda junto à linha e no sentido de Sintra, começava a Avenida Capitão Américo dos Santos que, penso ligava à avenida, chamada da “Torrejana”, porque lá no fim ficava uma loja (mercearia) com esse nome. Penso que hoje, essa avenida é a avenida Val do Milho. 

Atravessada a linha, do lado esquerdo, ia-se até à Ribeira de Fanares, onde muitas vezes fui com minha mãe, para lavar roupa. Hoje será mais uma ribeira enterrada, talvez sob a Av. dos Capitães de Abril.

Em frente, além da drogaria do “Poças”, da farmácia “Químia” e duma mercearia, a que eu achava muita graça por dizer que era um Armazém de Víveres, coisa estranha para mim, e que ficava defronte da que foi Av. Chaby Pinheiro (penso eu), havia então nessa tal avenida, que pouco mais era do que um descampado, o Cinema “Chaby”. Foi neste cinema que eu vi o “Fado”, "Não há rapazes maus", “Duelo ao Sol”, “A Loura Incendiária”, “Sangue Ardente”, “Tão perto do meu coração”, e “Tarzan e a Fonte Mágica”, o primeiro filme do Tarzan interpretado pelo Lex Barker.

Não foram muitos os filmes que vi mas eu devorava os cartazes que apareciam na montra do “Pérlita”. 
E, do lado de lá da linha, em Mem Martins, para mim, era tudo.
Do lado de cá, defronte da minha rua havia o que hoje é a rua do Forno e que era um caminho, até ao atalho. O forno era um forno de cal, local onde era frequente haver acampamento cigano, o que me obrigava, ao passar por ali, no meu caminho para a escola, a fazer uma espécie de “sprint” relâmpago, de modo a ver-me livre de sensações e medos estranhos demais para um miúdo.

Em sentido inverso, a zona de vivendas ali à volta, incluía uma padaria e um terreno mesmo a pedir que se fizessem ali uns “joguinhos” de futebol, que eu aproveitava na companhia de alguns veraneantes. Depois havia um regato, seco no Verão, uma zona de mato, e chegava à “Torrejana”, zona de mais algumas vivendas que se iam distribuindo na avenida, até à linha do comboio. Pouco mais havia, naquele mato imenso que ficava ali defronte de Ouressa mas, mesmo assim, lá no meio, o Colégio D. Afonso V, isolado, parecia não se importar muito com isso. O certo é que anos mais tarde, mudou-se para os lados de Fanares.

Por aqui, nada mais havia. De referir que para lá do atalho, na direcção das Mercês, havia o “Pinhal da Formiga”, onde corria uma ribeira que julgo seria a Ribeira de Fanares e onde apanhava lírio nas suas margens. Hoje, são ruas e prédios!

Assisti, à construção do edifício da Estação de Caminho de Ferro, pois até ali, o Algueirão, era apenas um apeadeiro; à viagem inaugural das primeiras carruagens, suíças, viagem feita pelo senhor Presidente do Conselho, dr. Oliveira Salazar e à viagem da rainha D. Amélia, a Sintra.

E, dos 3 aos 9 anos, foi este o meu Mundo, conhecido a palmo e que hoje me recuso a reconhecer mas que não esqueço! 
A freguesia mais populosa do país, parece nunca ter tido passado. E futuro, terá?

17/04/2014

'Preço Justo' - pastelaria/padaria low cost

Abertura de uma pastelaria/padaria low cost (baixo custo), de nome "Preço Justo", pertencente a empresa Aliança Panificadora do Cacém. 


A pastelaria irá situar-se na Estrada do Algueirão, na antiga panisintra.
Horário, das 6h00 às 20h00


16/04/2014

Desporto ao Ar Livre - Quinta do Butler


Durante os meses de Abril e Junho a Junta de Freguesia de Algueirão- Mem Martins irá promover uma iniciativa aos sábados de manhã, entre as 10h00 e as 12h30, na Quinta do Butler, Rua Popular de Moçambique, Mem Martins. 

Esta iniciativa será totalmente gratuita e aberta a toda a população, proporcionando aos habitantes da nossa freguesia a possibilidade de praticar desporto ao ar livre, promovendo a prática de actividade física e fomentando hábitos saudáveis.


14/04/2014

Feira Quinhentista em Mem Martins - 24 de abril

Para assinalar os 500 anos do Foral Manuelino de Sintra, o Agrupamento de Escolas Ferreira de Castro vai realizar, no próximo dia 24 de Abril de 2014, uma Feira Quinhentista, nas instalações da EB 2,3 Ferreira de Castro, que envolverá toda a comunidade.
Esta atividade, associando as vertentes pedagógica, cultural e lúdica, privilegia atividades interdisciplinares e entre ciclos ao nível de conteúdos e competências, através da recriação histórica de uma feira quinhentista.
Nas instalações da Escola Básica 2,3 Ferreira de Castro será criado um ambiente que nos transportará à época do rei D. Manuel I, contando com a participação de comerciantes e artesãos locais que, integrados na época pretendida, divulgarão os seus produtos e saberes. Também os sabores terão lugar, aguçando os sentidos com iguarias de outros tempos, enquanto a animação estará a cargo de diversas instituições com música, poesia, dramatização, dança, jogos, exibição de quadros vivos, etc. A feira disporá, ainda, de diversos ateliês pedagógicos dinamizados por professores, alunos e instituições patrocinadoras, que levarão a comunidade a experimentar a realidade de outras épocas.
Este evento conta com o patrocínio da Junta de Freguesia de Algueirão Mem Martins e com a colaboração da Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica 2,3 Ferreira de Castro.
Convidamos, assim, as famílias dos nossos alunos a estarem presentes neste encontro e agradecemos toda a disponibilidade e dedicação das mesmas na criação de figurinos, pendões, naus, caravelas e tantos outros elementos que enriquecem a cultura dos nossos alunos.
Link (clica) Fonte: http://www.efcastro.pt/default.aspx?canal=13&artigo=364

13/04/2014

Acordo para obras na Tapada das Mercês dependente do BCP

O presidente da Câmara de Sintra diz estar prestes a fechar o acordo para o arranque das obras que faltam para concluir a urbanização da Tapada das Mercês, mas ainda tem de convencer o banco BCP e discutir o documento no executivo, razão pela qual não foi ontem celebrado durante a presidência aberta que promoveu na freguesia de Algueirão-Mem Martins. 


Já temos o acordo da partes, mas quero levá-lo à reunião de câmara [agendada para dia 22]. Prevê obras por parte da Fundimo [actual Fundger, Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Imobiliário, proprietária do Floresta Center] e da Cintra Construções, que têm um prazo de seis meses para fazer as obras que faltam. Acabado esse prazo e recebido o loteamento, imediatamente daremos autorizações para a primeira fase da Quinta da Marquesa”, disse ontem Basílio Horta. 

Na sexta-feira, o autarca já tinha avançado a mesma informação na Assembleia Municipal de Sintra, após ser questionado pelo deputado João Silva, do Bloco de Esquerda, sobre quais as iniciativas da autarquia para resolver os problemas de degradação da urbanização, já denunciados naquele fórum por moradores. Em resposta, Basílio Horta recordou que a urbanização com mais de 20 anos, e onde vivem mais de 20 mil pessoas, não foi ainda recepcionada pela câmara porque faltam obras que o construtor não fez “devido a dificuldades financeiras”. 

O presidente da câmara revelou, também, que a empresa construtora pretendia que a autarquia licenciasse a segunda fase da urbanização, conhecida como Quinta da Marquesa, para posteriormente fazer as obras em falta na Tapada das Mercês, uma pretensão que não aceitou. “Recusei, porque era somar um problema a outro. Não há Quinta da Marquesa sem resolução da Tapada das Mercês”, diz Basílio Horta, que admite que a negociação do acordo foi “muito complicada.”

Segundo explicou, o fundo imobiliário proprietário do Centro Comercial Floresta Center vai avançar com obras no valor de mais de um milhão de euros, nomeadamente na construção de um estacionamento de apoio ao centro comercial e a um novo supermercado, e na disponibilização de espaço para uma delegação da junta de freguesia. Está também a ser negociada a construção de um posto de combustíveis “low-cost”.

Ficam a faltar cerca de 500 mil euros de obras a cargo da Cintra Urbanizações e da Sociedade de Construções e Urbanizações Vicente Antunes, dependentes do desenrolar das negociações com a banca, dado que ao contrário do que chegou a admitir, a câmara não irá assumir esse investimento. “Não têm dinheiro e aí têm que entrar o banco BCP, que não quer assinar o acordo”, revela, assegurando que vai insistir junto do banco e reassumir o compromisso de licenciamento da primeira fase do loteamento da Quinta da Marquesa “no dia em que acabarem as obras na Tapada”. 

Depois de resolvido o impasse que tem feito desesperar os moradores, a Câmara de Sintra diz-se pronta para avançar com os projectos do Parque Urbano e de recuperação da capela e do recinto da tradicional feira da Mercês. “O Parque Urbano não vai custar muito. Vamos limpar, fazer caminhos pedonais, pôr bancos e quanto muito fazer uma cafetaria de apoio que será concessionada. Segue-se a recuperação da capela e do recinto da feira, que custará dois milhões de euros”, revela o autarca.


Nova Igreja Mem Martins [Igreja Nossa Senhora da Natividade] (projeto)





  • INFORMAÇÕES GERAIS

    • DATA DE PUBLICAÇÃO: 2013-07-10
    • LOCAL DA OBRA: Rua Artur Bual - Mem Martins
    • FASE DE ESTUDO: Projecto de Execução
    • VALOR ESTIMADO: €1.500.000
    • DATA PREVISTA DE INÍCIO DA OBRA:
      Ano de 2013

  • A Nova Igreja de Mem Martins, localiza-se na freguesia de Mem Martins, no gaveto formado pela rua Artur Bual e praceta do Outeiro e é formada por duas zonas distintas: um espaço de culto e um centro pastoral.

    ESPAÇO DE CULTO: O espaço interior quadrangular da igreja é definido por quatro grandes pilares com 6 x 6 m, cujos capitéis se desenvolvem formando arcos de volta perfeita que, uns com os outros, formam abóbadas de berço que se entrecruzam na zona central do altar.



    O espaço definido por estas duas abóbadas de berço, com 11.50m de diâmetro por 8.50m de altura é iluminado zenitalmente por uma fresta em forma de cruz, definida pelas linhas de fecho das duas abóbadas cruzadas e introduz pela sua dimensão, nesta pequena igreja, uma escala digna da grandeza da “mensagem”.


    A assembleia desenvolve-se em torno do altar, assegurando um bom grau de participação litúrgica e tem capacidade para 410 lugares sentados. As sacristias, as duas capelas mortuárias e o centro pastoral desenvolvem-se a partir da retaguarda do altar com acessos independentes.



    CENTRO PASTORAL: O Centro Pastoral dispõe de um espaço amplo de entrada com acesso aos diversos serviços, zona de estar e cafetaria, por um núcleo de direcção, uma sala polivalente e um núcleo de ensino e formação.


    O núcleo de direcção é composto por uma sala de reuniões, pelo gabinete do pároco e auxiliar, por um zona de secretariado / acolhimento e respectivas instalações sanitárias. A sala polivalente, para conferências, festas e outros espectáculos tem 245 lugares sentados e mais 4 lugares para pessoas com mobilidade condicionada, num total de 249 lugares. O núcleo de formação é composto por 8 salas de catequese, 4 salas de catecumenato, uma mediateca, uma secretaria, um depósito de material.

    terreno da nova igreja

    Existem ainda 2 capelas mortuárias, cada uma delas com capacidade para 36 lugares sentados.Todos os pisos ligam entre si por elevador e escadas, uma das quais dá acesso à cobertura e à torre sineira.


    Fonte: http://www.anteprojectos.com.pt/2013/07/10/nova-igreja-de-algueirao-mem-martins/

    Arsenal72 - Futebol - Torneio de Pascoa 2014

    18 Abril
    Parque de Jogos do Casal São José

    11/04/2014

    Folk & Doom em concerto acústico - 'Eterna Saudade'- 12 Abril

    Teatro-Estúdio DoisEme

    Loja do Cidadão avança em Algueirão-Mem Martins

    Fonte 'CMSINTRA'
    O presidente da Câmara Municipal de Sintra anunciou esta sexta-feira a instalação de uma Loja do Cidadão na freguesia de Algueirão-Mem Martins, durante uma iniciativa de Presidência Aberta.
    Basílio Horta adiantou que o objetivo é instalar em 2015 uma Loja do Cidadão no centro comercial Atribum Chaby, de forma a centralizar naquele espaço postos de atendimento de serviços municipais, serviços da administração central e ainda os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS)
    Durante a manhã foram visitados vários locais da freguesia, com o objetivo de anunciar quando e como vão ser resolvidos problemas concretos.
    O presidente da autarquia anunciou a requalificação da bacia de retenção em Algueirão, junto ao bairro da Coopalme. Esta intervenção prevê a criação de um espaço de lazer, dotado de equipamentos desportivos e de mobiliário de apoio. Haverá também instalações de apoio à população.
    O grupo de trabalho constituído pelo presidente da Câmara, vereadores com pelouro, presidente da Junta de Algueirão-Mem Martins e técnicos da autarquia deslocou-se ainda à antiga fábrica da Messa, onde se pretende instalar um centro de saúde, para substituir o atual, que funciona num prédio de habitação.

    A quarta Presidência Aberta encerrou com uma reunião várias associações e instituições locais.

    --------------

    Noticia 'Sol'


    O presidente da Câmara de Sintra anunciou hoje a criação de uma 'cidade da saúde' no terreno das antigas instalações da fábrica Messa, em Algueirão-Mem Martins, projecto que, segundo autarca, é já conhecido pelo Ministério da Saúde.

    "O Ministério da Saúde já tem conhecimento desta intenção e também já manifestou interesse. Haverá em breve uma reunião para se ajustar o acordo", disse Basílio Horta (PS) durante uma visita a Algueirão-Mem Martins, no âmbito da iniciativa 'Presidência Aberta'.

    Basílio Horta adiantou que o objectivo é centrar diversos pólos de interesse na área da saúde, como um centro tecnológico para a indústria farmacêutica, um centro de saúde com 30 médicos para servir 62 mil utentes.

    "Nós temos dinheiro, temos 2 milhões de euros para investir neste projecto. Falta chegar a acordo com o Ministério da Saúde, que prevê que a câmara ceda os terrenos e instalações e ainda 30 por cento do investimento total", acrescentou o autarca.

    A construção deste projecto pode passar pela demolição dos actuais edifícios existentes ou a sua requalificação.

    "Essa parte ainda não está definida. Se demolirmos tudo, o custo rondará os 800 mil euros, mas há também a hipótese de se manter o edifício 'Nave' e reconstruí-lo. Temos de ver o que sai mais barato e o que é mais viável", concluiu.

    Durante a visita pela freguesia de Algueirão-Mem Martins, o autarca de Sintra passou, também, pela Tapada das Mercês, onde pretende fazer obras no Floresta Center, depois avançar para a primeira fase de construção da Quinta da Marquesa e, ainda, construir um Parque Urbano para convívio da população.


    Basílio Horta visitou, também, as instalações da futura Loja do Cidadão de Algueirão-Mem Martins no Atrium Chaby.

    "Pretende-se que todo o primeiro andar do edifício, cerca de 700 metros quadrados, fique para a Loja do Cidadão, com todos os serviços, mas ainda estamos em negociações", adiantou o vereador de Apoio ao Munícipe, Eduardo Quinta Nova, acrescentando que o espaço deverá estar em funcionamento no primeiro semestre de 2015.

    Festa do Comércio Local -12Abril


    09/04/2014

    Algueirão-Mem Martins promove Comércio Local [12Abril]


    A Junta de Freguesia de Algueirão Mem-Martins convida toda a população do concelho de Sintra a estar presente na Festa do Comércio Local que se realiza no próximo dia 12 de Abril, sábado, em várias ruas da nossa freguesia, nomeadamente Rua de Fanares - Jardins das Galerias Butler e Avª Chaby Pinheiro - Rua Madressilva.

    Traga a sua família e desfrute de um dia diferente junto dos nossos comerciantes.



    06/04/2014

    Sessões de Esclarecimento sobre Arrendamento Urbano

    A Câmara de Sintra e a Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins promovem em Abril três sessões de esclarecimento sobre o novo Regime de Arrendamento Urbano. A iniciativa é destinada à população em geral e de entrada gratuita.

    * 08 de Abril, 14h30 ACTIS, Rua Jau
    * 15 de Abril, 14h30 Recreios Desportivos do Algueirão, Estrada do Algueirão, 140
    * 22 de Abril, 14h30
    Mem Martins Sport Clube, Largo do Rossio da Fonte, n.º 6 

    05/04/2014

    Relatório 2013 Sintra regista novos processos de crianças e jovens em risco

    As duas Comissões de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Sintra registaram em 2013 um aumento de 65 processos instaurados ou reabertos, comparando com o ano anterior, apesar do ligeiro decréscimo no total de processos.
    De acordo com os relatórios de atividade de 2013, hoje apresentados, as duas CPCJ de Sintra registaram 1468 novos processos, ligeiro aumento que se verifica desde 2011. No entanto, em termos globais, as duas comissões acompanharam 3038 processos (contra 3260 em 2012). O decréscimo resulta da redução de processos transitados do ano anterior.

    No relatório conjunto das duas comissões, as principais problemáticas apontadas residem no abandono/absentismo escolar, seguindo-se a negligência, exposição a modelos de comportamento desviante e outras situações de perigo, que incluem a violência doméstica ou gravidez na adolescência. Os rapazes predominam em relação ao sexo feminino.

    A CPCJ Sintra Ocidental, que abrange as freguesias de Algueirão- Mem Martins; Rio de Mouro e Colares, e uniões de freguesias de Sintra e rurais (Almargem do Bispo, Pero Pinheiro e Montelavar, e São João das Lampas e Terrugem), registou 1411 processos ativos (mais 40 do que em 2012).

    Já na CPCJ Sintra Oriental, que trata das freguesias de Casal de Cambra, e uniões de Cacém e São Marcos; Agualva e Mira Sintra; Queluz e Belas, e Massamá e Monte Abraão, foram acompanhados 1627 processos (menos 262 em comparação com o ano anterior).

    Na CPCJ Sintra Ocidental os processos instruídos em 2013 incidiram principalmente nas freguesias rurais (30%), a maioria em São João das Lampas e Terrugem, seguidas de Rio de Mouro (30%) e Algueirão (21%).

    Rio de Mouro, Algueirão e Mem Martins foram as localidades com mais processos. O escalão etário dos 11/14 anos foi o mais sinalizado, seguido dos 15/17 anos e dos 3/5 anos.

    Catarina Fernandes, presidente da CPCJ Ocidental, salientou que muitos casos são referenciados pelas escolas e que nas zonas rurais predominam situações de violência doméstica, principalmente devido ao alcoolismo.

    As localidades com mais processos instruídos foram Agualva, Queluz, Cacém e Belas. O escalão etário 15/18 anos foi o mais sinalizado (34%), seguido pelos 11/14 anos (26%) e 0/2 anos (11%).

    Fonte com noticia completa: Noticias no Minuto

    Farmácia Silveira

    Já abriu... nova Farmácia em São Carlos 
    [na estrada de Mem Martins, junto ao Lidl, MacDonald's e Adreta]
    Esta nova farmácia deve-se à mudança de instalações da Farmácia Marques Rodrigues (já encerrada)


    Basílio Horta - Presidência aberta em Algueirão Mem Martins

    No próximo dia 11 de Abril, sexta-feira, decorrerá a presidência aberta na freguesia de Algueirão-Mem Martins, na qual o presidente da Câmara Municipal de Sintra, Dr. Basílio Horta, e restantes vereadores com pelouros, marcarão presença na nossa freguesia para se inteirarem dos problemas que enfrentamos na actualidade.

    De modo a elaborarmos um dossier de propostas de melhoramentos abrangente para a nossa freguesia, convidamo-lo a dar o seu contributo e conhecimento. Queremos que faça parte da identificação dos problemas da nossa freguesia, que nos transmita as verdadeiras necessidades da sua rua/bairro/zona e que nos envie a sua sugestão.



    Para contribuir basta enviar o seu contributo para comunicacao@jfamm.pt


    04/04/2014

    [Correio da Manhã] Empresária roubada e ameaçada de morte

    Assaltantes tentaram apertar pescoço a mulher; segunda vítima foi atacada pouco depois.

    Por Magali Pinto - Correio da Manhã
    Duas mulheres roubadas em dez minutos. A madrugada de ontem foi de terror em Mem Martins, Sintra. O primeiro assalto aconteceu por volta das 00h00 quando uma empresária do ramo da saúde foi ameaçada de morte com uma navalha.Os dois assaltantes exigiram que a vítima, na casa dos 30 anos, entregasse o seu BMW.

    A mulher, que ficou sem a viatura, ainda foi empurrada e um dos assaltantes apertou-lhe o pescoço. Dez minutos mais tarde, outra mulher, auxiliar de ação médica, ficou sem uma carrinha Ford. Também foi ameaçada. A Polícia Judiciária está a investigar.

    As duas mulheres participaram o caso à PSP e, segundo o relato das vítimas às autoridades, tudo indica que sejam os mesmos assaltantes. Ambas falaram em armas brancas e não em armas de fogo. As duas mulheres foram ameaçadas e disseram aos agentes que temeram pela vida. Os assaltos deram-se quando as mulheres estavam à entrada de casa, sozinhas, acabando por ser surpreendidas.


    A polícia acredita que os dois homens não atuaram sozinhos e que nas redondezas estivessem outros cúmplices, tendo em conta que foram levados dois carros. 

    Até à hora de fecho desta edição, as viaturas ainda não tinham sido localizadas. O grupo pode estar ligado a um gang que faz roubos a caixas multibanco. Depois dos assaltos através de explosão, os carros são abandonados ou incendiados. A PSP aconselhou as duas vítimas a deslocarem-se ao hospital, ao que as mulheres recusaram, por não terem ferimentos graves.

    A PSP ainda tentou localizar os carros durante a noite, mas a investigação do caso está agora entregue à Polícia Judiciária, que vai perceber para que finalidade foram realizados os dois assaltos às condutoras.


    Fonte: Sábado

    Actividades para 'Férias da Páscoa'

    A Junta de Freguesia em parceria com a Creche Sempre em Flor e a Associação Juvenil Ponte, encontra-se a promover um plano de Férias da Páscoa com o objectivo de proporcionar momentos divertidos e diferentes do dia-a-dia, para as crianças da nossa Freguesia. Para mais informações sobre a iniciativa deverá contactar directamente com as instituições.